segunda-feira, 5 de abril de 2010

When it rains

A chuva caía la fora. Não era novidade, verão, fim de tarde... Mas me trazia lembranças. Lembranças de um tempo que talvez tenha ficado para trás ou nem tenha acontecido ainda. Foi tão pouco mas ao mesmo tempo tão intenso. Foi tão ingenuo mas ao mesmo tempo tão marcante. Eu esperaria mais 5 meses, mais 5 anos se fossem necessários. Mas, nesse momento, eu não quero esperar. Eu não quero mais essa chuva caindo que só me traz lembranças e não o que eu preciso de volta. E o que eu preciso não é você... É a sua presença. São suas palavras, seus gestos, é o conjunto todo do que forma a pessoa mais encantadora que eu já vi. Podem encontrar tantas definições pra você, definições ruins, mas eu sei que por trás disso existe um alguém que poucos tem a oportunidade de conhecer, e fico feliz em estar inclusa nesses poucos.

Espero que a chuva passe. Que a calmaria venha.
E logo.

5 comentários:

  1. Que venham mesmo.
    Há tantas coisas que nos fazem lembrar "certas" pessoas. Nem sempre lembrá-las nos traz paz, ao contrário, pode ser que junto à lembrança venha a dor de saber que são só lembranças, que a pessoa não está mais ali e talvez nunca volte a estar.

    ResponderExcluir
  2. chuva só me lembra coisas ruins, sempre fico sozinha nesses dias... ¬¬'
    Mas, depois da chuva, sempre vem o arco-íris, só não se sabe quanto tempo a chuva demora. Mas ela sempre passa :) e as coisas se ajeitam, viu?

    Beijos, Ana!! =*

    ResponderExcluir
  3. Chuvas tb nunca me trazem sentimentos bons.

    ResponderExcluir
  4. Depois da tempestade sempre vem a calmaria ...

    ResponderExcluir
  5. seu texto me fez lembrar a música da Ivete. Qdo a chuva passar , e o céu se abrir, abra a janela e veja eu sou o sol...

    ResponderExcluir